Patrono: Elias Daher Cutait - Cadeira 30   

Copatrono: Francisco Floripe Ginani  (passou a emérito em 18/03/2016) 

Ocupante Atual: João Batista Monteiro Tajra 


Curriculo:

Graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1967); fez residência médica na Unidade Integrada de Saúde de Sobradinho, UnB (1968-1970); fez curso de especialização em coloproctologia no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, USP (1971) e no Hospital São Marcos, Londres, Inglaterra (1972-1974); foi Assistente Clínico da Ferguson Droste Ferguson Clinic, Michigan, EUA (1974); foi assistente Clínico da Cleveland Clinic, Cleveland, Ohio, EUA; tornou-se clinical and research fellow of the London Hospital, University of London, Londres, Inglaterra (1972-1974) e Clinical and Research fellow do St. Mark’s Hospital, University of London, Londres, Inglaterra (1972-1974); fez curso de doutorado pela University of London (1972-1974)..

Em suas atividades profissionais, foi cirurgião geral do Hospital de Base (1976); Chefe do Servico de Colproctologia do Hospital Universitário de Brasília, UnB (1990-1996); professor da Faculdade de Medicina da UnB (1971-1996). Dedicou-se a pesquisas em pacientes com doença de Chagas e comprometimento do aparelho digestivo; a pesquisas sobre fisiopatologia do esôfago e do trânsito do aparelho digestivo e a estudos referentes aos resultados de intervenções cirúrgicas no megaesôfago e nos megacólons chagásicos.

Como atividades afins, participou de uma banca examinadora para ingresso como docente na Faculdade de Medicina da Universidade de Goiás; foi consultor do Hospital Sara Kubitschek para avaliação de sequelas em pacientes com neuropatias e comprometimentos funcionais anorretais; foi Presidente da Sociedade Brasileira de Coloproctologia (1993); membro da Comissão de Residência Médica do Ministério de Educação e Cultura; membro da Comissão de Ensino e Residência Médica da Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Publicou artigos em periódicos científicos, como Megacólon: Tratamento Cirúrgico, Revista Brasileira de Cirurgia (1972); Dilatação Aguda do Cólon no Megacólon Chagásico, Revista Brasileira de Cirurgia; Cardiectomia com Interposição Ileocecal no Tratamento do Megaesôfago Chagásico, Arquivo de Gastroentelogia.

Colaborou com elaboração de capítulos nos livros Controle Clínico do Paciente Cirúrgico, Editora Atheneu. São Paulo. 1976; Coloproctologia. Propedêutica Geral. 1.a ed. Rio de Janeiro, RJ: Revinter, 1998. Durante trinta e oito anos de atividade docente assistencial, participou de eventos científicos no Brasil e no exterior, como expositor, conferencista ou palestrante de numerosos congressos, mesas redondas, simpósios, consultorias e tele-encontros.

Como realizações dignas de nota, relata ter contribuído para o reconhecimento da residência médica em coloproctologia por meio da Comissão Nacional de Residência Médica do Ministério de Educação e Cultura; contribuiu para a introdução da residência médica em coloproctologia no Hospital Universitário de Brasília, HUB e seu credenciamento na Comissão Nacional de Residência Médica, na Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Considera sua melhor realização profissional ter contribuído para a implantação e o desenvolvimento do ensino e da pesquisa na Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília; desenvolveu as áreas da fisiologia e da cirurgia do aparelho digestivo; foi catalisador e incentivador da prática coloproctológica em âmbitos do DF e nacionais, o que o levou à presidência da Sociedade Brasileira de Coloproctologia em Brasília. Escolhido membro da Academia de Medicina de Brasília, foi depois seu Presidente e posteriormente Membro Emérito.

Quanto aos casos que mais o impressionaram entre seus doentes destacou sua longa convivência e dedicação com estudos e pesquisas da situação clínica presente em casos de megacólon chagásico e dilatação aguda do cólon. Esses estudos possibilitaram a formação e o reconhecimento de novo posicionamento diagnóstico e terapêutico dessa incômoda condição clínica.

Relata como importante incentivo para ser médico o fato de ser proveniente de área rural, localizada em município onde se defrontava com muita falta de assistência à saúde de sua população, o que lhe despertou um sentimento de solidariedade e desejo de se dedicar e melhorar as condições de vida das pessoas. Afirma ter a fortuna de uma filha também ter escolhido a medicina como profissão.