dr wilson sesana

 

Patrono: Nicola Caminha - Cadeira 07

Copatrono: Wilson Eliseu Sesana (passou a emérito em 11/09/2009)

 

Ocupante atual: Janice Magalhães Lamas

Curriculo:

Wilson Eliseu Sesana foi um médico radiologista pioneiro, nascido em Colatina – ES, em 14 de junho de 1934. Após completar a seu curso na Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, onde foi membro ativo do Centro Acadêmico, Dr. Sesana se apaixonou pela radiologia ao vê-la pelos olhos de seu sempre lembrado mestre, Nicola Casal Caminha, durante sua residência no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro.

Pioneiro de Brasília, Dr. Sesana foi fundador da Unidade de Radiologia do atual Hospital de Base do DF, tendo sido diretor do departamento de radiologia durante vários anos.

Radiologista de excelência, o Dr. Sesana escolheu especializar-se em neurorradiologia e radiologia de ouvido, especializando-se no Mallinkrodt Institute of Radiology, sob supervisão do Dr. Juan Taveras. Nesta ocasião publicou um trabalho sobre anatomia e alterações do ouvido que permanece até os dias atuais como um trabalho de referencia na área.

Ao retornar para Brasília, Dr. Sesana iniciou o serviço de neurorradiologia do Hospital de Base e abriu a primeira clínica particular de radiologia da cidade.

Durante seu tempo como Secretário de Saúde do Distrito Federal, de 1967 a 1969, Dr. Sesana foi responsável por instituir o que hoje é o CAPES do Distrito Federal, com seu plano de assistência do doente mental e tornou-se conhecido pela construção do Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

Foi professor da Universidade de Brasília e fundador e diretor do Centro Radiológico de Brasília, onde criou uma residência médica de excelência por sua preocupação com a perpetuação do ensino médico de qualidade.

Foi presidente do Colégio Brasileiro de Radiologia de 1969 a 1970, onde participou de comissões de pesquisa e de onde recebeu diversos prêmios e homenagens durante sua carreira. Foi ocupante de cadeira número 7  na Academia de Medicina de Brasília onde se tornou emérito em 2009. Era  defensor da carreira médica e ética dentro da profissão.

Encerrou sua carreira médica como diretor do Centro de Diagnóstico por Imagem do Hospital Brasília.